Páginas

quarta-feira, 25 de junho de 2014

Extremistas islâmicos assassinam cristãos “de casa em casa” durante ataque a cidade do Quênia

Na última semana uma série de ataques realizados por um grupo de extremistas islâmicos da Al Shabab, da Somália, resultou na morte de 48 cristãos na cidade costeira de Mpeketoni, no Quênia. Os extremistas causaram dois dias de terror na cidade, passando de casa em casa para assassinar as pessoas que não se enquadravam em padrões definidos por eles.
Armados, os extremistas foram de porta em porta questionando se as famílias que residiam em cada casa eram muçulmanas e falavam somali. Segundo o Padom, caso a resposta não agradasse os extremistas, eles abriam fogo imediatamente contra a família.
- Vieram em nossa casa em torno das 20h e nos perguntaram em swahili se éramos muçulmanos. Meu marido disse-lhes que éramos cristãos e eles atiraram na cabeça e no peito – relatou Anne Gathigi.
John Waweru, morador da cidade, conta que seus dois irmãos foram mortos pelos extremistas durante o ataque porque não falavam somali.
A maioria dos ataques aconteceu no domingo, e na segunda feira tropas quenianas e moradores da região puderam ver o rastro de destruição deixado pelos extremistas, com vários corpos estirados pelas estradas de terra e edifícios ainda em chamas, visto que dois hotéis e muitos veículos foram queimados durante o ataque.
A recente onda de violência no país destaca o aumento da violência extremista islâmica no país, que já foi considerado uma referencia em termos de estabilidade na África Oriental.
Segundo o ministro do Interior, José Ole Lenku, após os ataques os extremistas islâmicos fugiram para as florestas próximas após uma “troca feroz de tiros” com as forças de segurança. Lenku alertou ainda os políticos da oposição contra incitação à violência, afirmando acreditar que o ataque pode ter relações com a tensão política na região.
O Al-Shabab se manifestou sobre o ataque afirmando que o fez devido à “brutal opressão dos muçulmanos no Quênia.” O grupo disse que esses ataques continuarão “enquanto continuar a invasão da nossa terra para oprimir os muçulmanos inocentes”.
O ocorrido fez muitos se lembrarem de outro ataque realizado pelo grupo em um shopping center na capital do Quênia, Nairóbi, em setembro do ano passado. Na ocasião, pelo menos 67 pessoas foram mortas, algumas delas após não serem capazes de responder a perguntas sobre o Islã.
Nos últimos dias, devido o aumento da tensão na região, turistas estão sendo aconselhado a não visitar o país.

segunda-feira, 31 de março de 2014

Por que Evangelizar ( parte 12)

Eu devo mostrar que  a melhor opção para construir é na rocha
Ø  Mateus 7:24-27   -   por incrível que pareça, ou por mais que as pessoas discordem, o evangelho e o próprio Cristo, são muito radicais. Outra vez Jesus ensina sobre duas possibilidades, não três ou quatro. Apenas duas possibilidades. Na primeira a rocha e apresentada, na segunda a areia é apresentada.
*       Devemos observar que as pessoas prudentes, aqueles que irão alcançar a salvação, são aqueles que constroem a casa na rocha. Veja que isso é um simbolismo daqueles homens que ouvem a palavra e as praticam.
·         Primeiro coisa que deve acontecer, é as pessoas ouvirem onde devem construir a salvação. Não é em religião, mentiras, superstições. Apenas em cristo. É nosso dever mostrar que a rocha é a melhor opção. Que a rocha é Jesus.

·         Segundo, devemos ajudar as pessoas a praticarem a palavra. Colocarem em praticas as palavras de Jesus, que nós estamos ensinando. Não é fácil praticar os ensinamentos de Cristo, nós somos os “tutores” daqueles que estão iniciando a caminhada cristã;

“Lançai a Palavra”: Desafio de leitura bíblica faz sucesso entre cristãos no Facebook

“Lançai a Palavra”: Desafio de leitura bíblica faz sucesso entre cristãos no Facebook
Nas últimas semanas tem se espalhado entre os cristãos, pelo Facebook, uma campanha chamada “Lançai a Palavra”, em que seus participantes são “desafiados” por seus amigos a publicarem em seus perfis na rede social um vídeo lendo um texto Bíblico e comentando sobre ele. Além disso, a pessoa que publicar o vídeo deve desafiar três amigos a fazerem o mesmo.
Marcados com as hashtags #EuNaoMeEnvergonhodoEvangelho, #LancaiaPalavra, #LancandoaPalavra e #DesafioBíblico milhares de vídeos têm sido publicados no Facebook, espalhando o desafio por todo o país.
Criada pelo padre Éderson Iarochevski, da paróquia de Rio das Antas, em Santa Catarina, a campanha foi elaborada como uma resposta ao desafio “Bávaro de Cerveja”, que circulou entre os jovens recentemente na rede social. No desafio que motivou a resposta do pároco, os jovens são incentivados a beberem meio litro de cerveja de uma única vez, e desafiar seus amigos a fazerem o mesmo.
O desafio “Lançai a Palavra” diz ainda que aquele que não publicar o vídeo em seu perfil em até 24 horas deve presentear quem o desafiou com uma Bíblia, a “punição” faz um paralelo com o “desafio da cerveja”, em que aqueles que não o cumprirem devem presentear seu desafiante com uma certa quantidade da bebida.
- Ser cristão é desafiar-se constantemente, para que sejamos pessoas melhores. Então o desafio ‘Lançai a Palavra’ surge com o desejo de que os jovens cristãos possam desafiar-se entre si em levar a Palavra de Deus que os tocou intimamente, e assim fazer com que a própria Leitura Orante da Palavra seja mais difundida entre eles – afirmou o padre, ao comentar sobre o desafio em entrevista ao site “Jovens Conectados”, da CNBB.
- Precisamos despertar nos jovens um amor verdadeiro pela Palavra de Deus. Que, sem medo e timidez, possam proclamar que o contato com esta Palavra os engrandece e os faz desejosos de ver outros tantos jovens viverem, com alegria, uma maior intimidade com a Bíblia Sagrada – completou Iarochevski, que também citou os riscos do desafio “Bávaro de Cerveja”, afirmando que ele pode incentivar o alcoolismo.
Com o sucesso da campanha lançada pelo padre Éderson Iarochevski, os vídeos se espalharam pela internet e a campanha começou a fazer sucesso também entre os jovens evangélicos.
Apesar do sucesso da corrente, a campanha motivou também uma série de críticas por parte de alguns cristãos, que publicaram comentários dizendo ser fácil dizer não se envergonhar do evangelho na rede social, mas difícil fazer isso fora. Alguns afirmam também que a ideia não ajuda efetivamente na evangelização, já que não alcança pessoas não cristãs e pode acabar se tornando apenas uma “brincadeira” entre jovens cristãos.
Mesmo com as críticas, o desafio tem ganhado força nas redes sociais e tem ganhado a adesão de muitos cristãos e também de líderes religiosos, como o pastor Alcione Giovanella, da Igreja de Deus, que em seu vídeo para o desafio comentou que “essa geração jovem agora nos próximos 10, 15 anos e 20 anos será mais propensa a ter uma dependência alcoólica crônica do que a geração passada”.
Em seu vídeo, Giovanella falou também como essa falsa alegria proporcionada pelo álcool tem enganado as pessoas e destacou a importância do Espírito de Deus que supre as necessidades da alma. Ele alertou também os cristãos para não apenas lerem a Bíblia no vídeo, mas que também busquem ter uma vida cheia do Espírito Santo.
- Você que está participando do desafio da palavra não apenas leia a Palavra de Deus, mas busque ser cheio do Espírito de Deus – afirmou o pastor.
O padre Edmilson Mendes também comentou sobre a campanha em sua página no Facebook, afirmando que seria muito bom que a campanha se expandisse para além das redes sociais, influenciando nas atitudes diárias das pessoas.
- E se esta multiplicação legal de vídeos em relação aos desafios “eu não me envergonho do evangelho” se expandisse? E se fosse além do face? Além de uns poucos segundos de uma rápida leitura e comentário bíblico? – afirmou o padre, segundo o portal Guiame.
- Está muito legal assistir cada um, edifica, acrescenta e enriquece o conteúdo na rede social. Mas já pensou se o desafio passa a ser a rotina diária, natural, habitual? Cada um de nós sempre com uma palavra amiga e de esperança, vivendo o Cristo que cremos nos detalhes mais comuns da nossa vida? – completou.
Por Dan Martins, para o Gospel+

sexta-feira, 28 de março de 2014

Juiz determina retirada de placa com mensagem cristã em entrada de cidade e igrejas organizam vigília: “Viemos defender nossa fé”

Juiz determina retirada de placa com mensagem cristã em entrada de cidade e igrejas organizam vigília: “Viemos defender nossa fé”
Um totem com a mensagem “Sorocaba é do Senhor Jesus Cristo” na entrada da cidade do interior paulista se tornou alvo de uma ação do Ministério Público e o juiz decidiu que a prefeitura da cidade deve retirá-la do local onde está instalado.
O MP alega que a mensagem de teor religioso num equipamento público fere a laicidade do Estado, e por isso, deve ser removida. A iniciativa foi motivada após estudantes fazerem representações junto ao MP e vândalos pixarem o totem.
Na sentença, o juiz José Eduardo Marcondes Machado determinou que a prefeitura remova o totem em até 10 dias. Caso a administração municipal descumpra a determinação, será aplicada multa diária de R$ 1 mil.
Machado ainda determinou que a prefeitura impeça a “a instalação de qualquer outra placa ou objeto com mensagem da mesma índole, postulando a fixação de multa para a hipótese de descumprimento”.
O texto da sentença diz ainda que aquela mensagem em local público fere o direito fundamental à liberdade de crença, estabelecido na Constituição Federal (no art. 5º, inciso VI). “Mais uma vez a minoria não representada ficaria a reboque do domínio político da maioria, o que é inadmissível em matéria de liberdade religiosa e laicismo estatal numa verdadeira democracia”, afirmou o juiz.
As igrejas da cidade reagiram e organizaram um protesto contra a decisão, com uma vigília no local onde o totem está instalado. Segundo o universitário Frederico Salomão, 31 anos, um dos organizadores da vigília, fiéis “da Igreja Católica, da Bola de Neve, da Batista Indepedente e da Assembléia de Deus” marcaram presença.
Segundo Salomão, a decisão contraria a opinião da maioria dos cidadãos sorocabanos: “Façam um plebiscito para saber se a maioria concorda com a decisão. Porque, assim, eles vão ver que nós queremos a manutenção da placa. O Estado pode ser laico, mas não é ateu”, disse ao G1.
“Não viemos aqui pela placa, e sim para defender a nossa fé, a nossa ideologia. O que não queremos é que a marca da nossa crença seja apagada da cidade”, afirmou a estudante Steffanie Mayara, de 16 anos.
Salomão ainda argumentou que o totem representa a crença de que Deus protege a cidade: “É importante ressaltar que a placa diz ‘Sorocaba é do Senhor Jesus Cristo’. Isso não quer dizer que a cidade pertence ao Senhor e sim que o Senhor atua por Sorocaba, ou seja, está presente na vida dos moradores. Queremos mostrar que o sorocabano é um povo abençoado e que a cidade tem recebido coisas boas”, concluiu.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

terça-feira, 25 de março de 2014

Marcus Menna, vocalista do LS Jack, desce às águas em cerimônia de batismo celebrada por Kleber Lucas

Marcus Menna, vocalista do LS Jack, desce às águas em cerimônia de batismo celebrada por Kleber Lucas
O músico Marcus Menna, vocalista da banda LS Jack, se converteu ao Evangelho e no último dia 15 de março, foi batizado nas águas na Soul Church, igreja dirigida pelos pastores Kleber Lucas, Danielle Favaor e Sergio Knust.
Marcus ficou conhecido nacionalmente junto com sua banda através do extinto programa Planeta Xuxa, na TV Globo, cantando o hit “Carla”, que ele havia composto para sua ex-esposa. Em 2004, uma complicação durante uma lipoaspiração levou o vocalista ao coma, e apesar das previsões negativas, Menna despertou e desde então luta contra as sequelas.
O pastor Kleber Lucas relatou a história de vida de Marcus Menna em seu perfil no Instagram, juntamente com as fotos do batismo: “Em 1 de julho de 2004, Marcus Mena, vocalista da banda LS Jack foi internado.Teve uma parada cardiorrespiratória e passou pouco mais de 20 minutos com pouca oxigenação no cérebro. Passou dois meses em coma. Os médicos consideravam praticamente impossível seu retorno, visto que ele tinha grandes chances de não ouvir, não falar e nem mesmo caminhar”, escreveu.
De acordo com Lucas, Marcus vem lutando desde então por sua reabilitação, e sua história de superação inspira muitas pessoas. A reflexão do pastor e cantor gospel envolveu ainda um agradecimento a Deus pela oportunidade que o músico teve de conhecê-lo: “O milagre aconteceu e o Marcus voltou a viver! Hoje ele faz reeducação física com um educador físico e quiropráta, aulas de canto com uma professora, que é fono, e também estuda piano e inglês. O Marcus foi dispensado de fisioterapia, fonoaudiologia e psicólogo. Sábado, no momento do seu batismo na Soul Church, ouvi de relance, as seguintes palavras do Sergio Knust, pra ele: ‘Deus te trouxe de volta exatamente para esse momento’. Não conseguimos conter as lágrimas! Eu também já vivi meus comas particulares, desacreditado por muitos e,voltei a viver”, testemunhou.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

segunda-feira, 24 de março de 2014

Jean Wyllys apresenta projeto para legalizar o uso da maconha; Marisa Lobo critica: “Vejo interesse político por trás dessa disfarçada descriminalização”

Jean Wyllys apresenta projeto para legalizar o uso da maconha; Marisa Lobo critica: “Vejo interesse político por trás dessa disfarçada descriminalização”
Na última quarta feira, o deputado federal Jean Wyllys (PSOL-RJ) apresentou um projeto de lei com o objetivo de legalizar a produção e o uso da maconha.
Segundo seu site oficial, o texto de sua proposta tem entre seus objetivos “regular a produção e comercialização da maconha e seus derivados, tornando a Cannabis uma droga lícita com uma regulação e restrições semelhantes às do álcool e o tabaco” e “descriminalizar a posse de qualquer tipo de drogas, inclusive as ilícitas, para consumo pessoal, assim como auto cultivo”.
- A maconha (como as outras drogas atualmente ilícitas) é importada, plantada, produzida, industrializada, vendida e comprada de forma ilegal sem que o Estado consiga, em momento algum, que isso deixe de acontecer, como não conseguiram as legislações contra o álcool, nos EUA, que o uísque deixasse de ser produzido e vendido, mas, ao colocá-lo na ilegalidade, fomentaram a criação de um circuito de violência – argumenta o deputado, ao defender a liberação do uso da droga.
Wyllys continua sua defesa à regulamentação da maconha afirmando que o circuito de violência criado em torno da proibição do álcool nos Estados Unidos “só foi superado com a legalização, admitido o fracasso absoluto da mesma política que depois foi ressuscitada para seu uso com outras drogas semelhantes ao álcool, que foram convenientemente cercadas de pânico moral e estigmatização, em muitos casos por motivos raciais ou políticos”.
O deputado defende ainda que criminosos que estejam presos por crimes relacionados ao comércio o consumo da droga recebam anistia e que aqueles que hoje atuam como traficantes da droga sejam “retirados da clandestinidade” e possam ser inseridos em um mercado legal da substância.
Contra a liberação da maconha
Conhecida como uma ferrenha opositora à legalização da maconha e de outras drogas, a psicóloga Marisa Lobo falou recentemente sobre o porquê é contra a liberação da droga. Afirmando que a maconha faz mal à saúde sim, e não é droga inocente como alguns tentam defender, Marisa Lobo ressalta que além e causar dependência a maconha é uma “porta de entrada” para outras drogas ilícitas.
- O que vemos hoje, não é uma preocupação honesta com a população que usa drogas ou com a violência gerada por ela, e sim uma preocupação egoísta com o vício pessoal de muitos e o interesse político por trás dessa disfarçada descriminalização – afirma a psicóloga.
A psicóloga comenta ainda sobre o uso da legalidade do cigarro e do álcool como justificativas para a liberação da maconha, ressaltando se tratar de substâncias que também produzem grandes prejuízos para o indivíduo que as consome e para a sociedade.
- O cigarro e o álcool são evidências que a legalização da droga não funciona. Hoje estamos encurralados com o vício do álcool. Financeiramente, nosso país está vivendo as consequências devastadoras desse vício. Fumantes custam 338 milhões somente no tratamento do Sistema Único de Saúde (SUS), gastos com a consequência do uso e abuso do cigarro, fora mortes, prevenção, etc – explica.
Sobre a justificativa de que trazer a maconha à legalidade acabaria com o tráfico, Marisa Lobo explica que “o tráfico não depende somente da Maconha para sobreviver” e que “liberar a Maconha não abalará o tráfico, todavia, aumentará o tráfico e incentivará o uso de outras drogas mais pesadas”.
Justificativas
Após a repercussão de seu projeto, Jean Wyllys publicou em seu site um texto no qual afirma ser contra a liberação da maconha, e que seu projeto foi interpretado de forma incorreta pela imprensa, que deu “atenção primária à anistia de presos por tráfico de maconha”, criando a imagem de que a função do projeto é a de defender bandidos ou de esvaziar cadeias.
Usando como justificativa principal a violência motivada pelo tráfico de drogas, o deputado afirma que o objetivo de seu projeto é interromper o fortalecimento do crime organizado, visto que na ilegalidade os traficantes “experimentam a verdadeira reserva de mercado”.
- Seus agentes públicos, responsáveis pela manutenção da tranquilidade de seu funcionamento, são muito bem pagos. Assim o Estado, informalmente, já pratica a liberação e o controle sobre o comércio de drogas – afirma Wyllys, explicando que, através da corrupção, o Estado já liberou a venda da droga.
O comércio de drogas, independente de qual for, é sim liberado no Brasil, e isto ninguém pode negar. A criminalização da pobreza e a formação dos guetos marginalizados é também outro fato inconteste – completa o deputado, que defende a ideia de que as pessoas presas ou mortas por envolvimento com o tráfico são, em geral, “pobres, favelados, e na maioria dos casos jovens e negros”, que por não terem acesso à educação e serviços públicos de qualidade, vendo assim o tráfico como sua “única forma de mobilidade social”.
- O foco aqui é tirar o jovem negro e pobre, o mesmo que tem morre quase três vezes mais que o jovem branco pobre do estigma de ser criminoso – afirma.
Afirmando que o tema é sempre tratado com preconceito, o deputado afirma ainda que a imprensa deveria dar “peso maior que o que realmente importa no projeto, que é a formação de uma política de segurança pública que não penalize os mais pobres como forma de esconder dos mais ricos a baixa eficiência de seu trabalho”.
Por Dan Martins, para o Gospel+

sexta-feira, 21 de março de 2014

Por que Evangelizar (parte 11)



   Eu devo mostrar que a areia não é a melhor opção


 Ø  Mateus 7:24-27   -   por incrível que pareça, ou por mais que as pessoas discordem, o evangelho e o próprio Cristo, são muito radicais. Outra vez Jesus ensina sobre duas possibilidades, não três ou quatro. Apenas duas possibilidades. Na primeira a rocha e apresentada, na segunda a areia é apresentada.

*       Porque alguém construiria a casa sobre a areia ao invés da rocha? Porque alguém colocaria a vida em risco dessa forma?

·         Primeiro pode ser por ignorância. O individuou, não avisado, não experiente, não sabia que a areia não era apropriada para a construção de uma casa.
·         Segundo, poderia ter sido pela facilidade. É muito mais fácil construir uma casa na areia do que na rocha. Cavar na areia é mais fácil, mais rápido, e mais barato;

*       O grande drama está não simplesmente em construir a casa, mas no teste pelo qual ela passa. Observe que ao final do teste ela não resiste. Isto fala do juízo de Deus, do julgamento final.;

·         É nosso dever mostra que a areia, que aqui pode simbolizar as facilidades do mundo corrompido (drogas, bebida, adultério, pornográfica, mentiras...), não é o local adequado para se construir nossa salvação.

Deputada pede que governo suspenda repasse de verbas ao SBT por conta de opiniões da jornalista evangélica Rachel Scheherazade

Deputada pede que governo suspenda repasse de verbas ao SBT por conta de opiniões da jornalista evangélica Rachel Scheherazade
As opiniões da jornalista Rachel Scheherazade, evangélica e comentarista do Jornal do SBT, levaram a TV de Silvio Santos à mira do governo federal, que estuda suspender a verba publicitária repassada à emissora.
A informação, divulgada pelo Congresso em Foco, revela que a deputada federal Jandira Feghali (PCdoB-RJ) pediu ao ministro Thomas Traumann, da Secretaria de Comunicação Social (Secom) da Presidência da República, que estude a possibilidade de cortar o repasse ao SBT como represália à postura da jornalista.
Rachel Scheherazade é conhecida por suas opiniões contundentes, como no caso em que defendeu a liberdade de expressão ao pastor Marco Feliciano (PSC-SP), quando ele era alvo de protestos constantes de ativistas gays. Recentemente, a jornalista tornou-se alvo de críticas de parte da sociedade por dizer que era compreensível que cidadãos se tornassem justiceiros pois a incapacidade do Estado em garantir segurança à população levava os cidadãos ao desespero.
“Em meu espaço de opinião no jornal SBT Brasil, afirmei compreender (e não aceitar, que fique bem claro!) a atitude desesperada dos justiceiros do Rio”, defendeu-se Rachel Scheherazade à época, num artigo publicado na Folha de S. Paulo.
Jandira Feghali acusa o SBT de ter feito apologia e incitação ao crime por deixar a opinião de Scheherazade ir ao ar, e afirma que continuará insistindo em punição à emissora: “A Secom me deu um primeiro retorno dizendo que concorda com o conteúdo do nosso pedido e que estuda quais providências tomar”, afirmou a deputada.
O SBT recebeu, somente em 2012, R$ 153 milhões em verbas publicitárias do governo. Na prática, a medida resultaria na interrupção da veiculação de propagandas do governo na emissora. Como o governo pode subsidiar um canal que tem uma editorialista que incita à violência e à justiça com as próprias mãos?”, questiona Jandira Feghali.
No entanto, o apetite da deputada é maior, e ela estuda pedir a cassação da concessão pública dada ao SBT, o que resultaria na retirada da emissora do ar. Segundo Jandira Feghali, tal pedido só será feito depois que a ação sobre apologia e incitação ao crime for julgada, e a parlamentar não teme que o caso seja taxado como censura: “Não podemos ser coniventes com nenhum crime. O único poder capaz de julgar a proporcionalidade da punição é a Justiça, que dá direito de defesa. Temos de defender o estado democrático de direito”.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

quinta-feira, 20 de março de 2014

Por que Evangelizar (parte10)



   Porque sou luz do mundo

  Ø  Mateus 5:13-16   -   uma outra característica do cristão é que ele é luz. Mas não simplesmente luz posta em qualquer lugar, ele é luz do mundo, a luz em meio as trevas.

*       Uma luz só e notada no meio da escuridão, quando a noite cai; Enquanto o sol está alto, os poste não acendem sua luz, mas, quando a luz do dia começa a se apagar...a lâmpadas são acesas;

·         No meio desta sociedade caída no meio das trevas, nós somos a luz que ilumina. No meio de nosso bairro, família e amigos, nós somos a candeia que alumia;


·         Como uma luz que quando colocada no velador, ilumina a todos, mostrando os obstáculos e as saídas, assim somos nós. Somos aqueles que devem levar a luz de Cristo, às pessoas que estão no meio das trevas. Quando esta luz (Cristo ) chegar, as pessoas que viviam no meio das trevas, poderão enxergar novamente. É nosso dever como cristão, levar a luz do evangelho as pessoas.

André Valadão irá ao Encontro com Fátima Bernardes e pede oração aos fãs: “Que o Evangelho seja anunciado”

André Valadão irá ao Encontro com Fátima Bernardes e pede oração aos fãs: “Que o Evangelho seja anunciado”
O programa Encontro com Fátima Bernardes terá a presença do pastor e cantor André Valadão nesta quinta-feira, 20 de março.
Essa será a primeira vez que o pastor auxiliar da Igreja Batista da Lagoinha (IBL) estará no palco do programa matinal da TV Globo.
Em entrevista ao site da igreja, André pediu oração aos admiradores de seu trabalho: “Que o Evangelho seja anunciado, o perdão, o amor e a vida de Deus. Orem por mim, preciso, dependo de Deus e o fluir Dele. Que cada canção toque os corações e abençoe vidas”, disse o cantor.
André Valadão tem contrato com a gravadora Som Livre, empresa das Organizações Globo, e é considerado um dos principais nomes da música gospel nacional por conta do período em que foi vocalista do Ministério Diante do Trono e pelas vendas expressivas de seus álbuns solo.
O programa apresentado por Fátima Bernardes já recebeu outros artistas gospel, como Thalles Roberto, Gui Rebustini, Ana Paula Valadão, Fernanda Brum, Pregador Luo e Aline Barros. A TV Globo transmite o Encontro a partir das 10h40.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

quarta-feira, 19 de março de 2014

Arqueólogos divulgam relatório de pesquisa que confirma a existência de 50 personagens bíblicos do Velho Testamento

Arqueólogos divulgam relatório de pesquisa que confirma a existência de 50 personagens bíblicos do Velho Testamento
Um estudo da Universidade de Purdue confirmou a existência de 50 pessoas relatadas no Velho Testamento da Bíblia Sagrada. O relatório, assinado pelo pesquisador Lawrence Mykytiuk, inclui reis de Israel e monarcas da Mesopotâmia entre as figuras que tiveram sua existência confirmada.
De acordo com informações do Biblical Archeology, o relatório será divulgado em partes durante os meses de março e abril de 2014.
Uma das partes do documento que já foram apresentadas mostra também figuras menos conhecidas da Bíblia que foram alvo do estudo e puderam ser determinadas como verdadeiras.
“Pelo menos 50 pessoas mencionadas na Bíblia foram identificadas no registro arqueológico. Seus nomes aparecem em inscrições escritas durante o período descrito pela Bíblia e na maioria dos casos durante ou muito perto do tempo de vida da pessoa identificada”, escreveu o pesquisador Lawrence Mykytiuk.
De acordo com o Biblical Archeology, em breve, com “a extensa documentação bíblica e arqueológica apoiando o estudo será publicado em uma coleção detalhada sobre as referências bíblicas e inscrições referentes a cada uma das 50 figuras”.
Por Tiago Chagas, para o Gospel+

segunda-feira, 17 de março de 2014

Pastor e fiéis são presos pelo serviço de inteligência do Irã durante piquenique da sua igreja

Pastor e fiéis são presos pelo serviço de inteligência do Irã durante piquenique da sua igreja
Segundo informações divulgadas pelo “Present Truth Ministries”, o pastor Amin Khaki e um grupo de3 membros de sua congregação foram presos recentemente por oficiais da inteligência iraniana durante um piquenique organizado pela igreja.
O pastor Khaki, Rahman “Ziya” Bahmani e Hossein “Daniel” Baroun, foram atacados pelos oficiais, que sacaram suas armas e golpearam os cristãos antes de levá-los sob custódia. As informações são de que cristãos que participavam do piquenique tiveram seus olhos vendados e foram mantidos durante seis horas em salas de interrogatório.
A maioria dos presos foi posta em liberdade. Porém, o pastor e outros dois membros de sua congregação permanecem sob custódia, aguardando as acusações. Segundo o “Present Truth Ministries”, os cristãos poderão continuar presos por um mês, enquanto aguardam as investigações das autoridades do Irã.
Em janeiro, a polícia secreta iraniana já havia invadido a casa do pastor e confiscado laptops e materiais cristãos, como Bíblias, cópias do Novo Testamento, sermões impressos e panfletos.
Por Dan Martins, para o Gospel+

Por que Evangelizar (parte 09)



 
Porque eu sou sal da terra


Ø  Mateus 5:13-16   -   uma das principais características do verdadeiro cristão, é que ele é sal da terra. Foi isso que cristo ensinou.

*       Nossa vizinhança está ficado cada vez pior...nosso bairro tem ficado cada vez mais problemático...a sociedade tem apodrecido mais e mais...

·         Somos nós os catalizadores de vida dessa sociedade. Nós somos o sal que protege, conserva e dá valor a sociedade. Somos nós que devemos anunciar o Reino de Deus (salgar a terra). Outros não podem fazer esse papel.

·         Associações, Ong’s, ajudam... mas, conversão... somente nós podemos salvar, através de Cristo a humanidade da perdição e do inferno...nós devemos nos colocar com o verdadeiro sal da terra que Cristo disse que somos.


quinta-feira, 13 de março de 2014

Por que evangelizar (parte 08)



   Produzir para o reino é sinal de saúde


  Ø  Somo parte do rebanho do Senhor, ovelhas separadas para ir morar no pasto celestial que ele separou para nós. Entretanto, muitos estão nas igrejas achando que são ovelhas sadias, mas não são. Estão doentes.

*       Quando uma ovelha está doente, ela é colocada de lado, examinada e se o mal  não tem cura, é chega a morrer e não é aproveitada.

*       O primeiro sinal de uma ovelha sadia, é que ela se multiplica. Ela dar cria.

·         Quando uma ovelha não produz para o reino de Deus, provavelmente, ela não está mais sadia. Ela precisa urgentemente de tratamento para poder voltar a produzir no Reino, e se multiplicar.


“ovelha sadia dar cria...”

Exibição do filme “Jesus” em aldeias maias leva centenas de pessoas a se converterem a Cristo

Exibição do filme “Jesus” em aldeias maias leva centenas de pessoas a se converterem a Cristo
Uma série de exibições do filme “Jesus” em aldeias do povo Maia no México levou mais de 400 pessoas a se converterem ao evangelho. O filme foi projetado durante três noites em três aldeias localizadas na Península de Yucatán. Também foram exibidos os filmes “A História de Jesus para Crianças” e “Madalena”.
O diretor executivo de “Jesus Filme Project”, Erick Schenkel, afirma que o cuidado em dublar o filme para o idioma local é um dos fatores que atraiu milhares de pessoas para assistirem às exibições. Segundo ele informou em seu blog, cerca de 250 a 500 moradores das aldeias assistiram à exibição em cada noite.
- Estávamos especialmente comovidos na terceira noite, ao ver duas pequenas anciãs maias, enroladas e sentadas na primeira fila e logo atrás as crianças. Ambas se inclinaram para frente, impressionadas desde o primeiro momento, pois era a primeira vez que o filme era mostrado em uma tela grande e os atores falando a sua própria língua. Quando Jesus foi preso, as mulheres se inclinaram para frente, com os olhos grudados na tela e com as mãos cobrindo a boca – relatou Schenkel.
- Até mesmo as crianças ficaram em silêncio e com a boca aberta e em sinal de preocupação. Quando Jesus foi pregado na cruz, a comunidade inteira ficou em silêncio. E quando o convite foi feito para aceitarem Jesus, as duas anciãs se uniram, com mais da metade do povo, e vieram para orar e receber Jesus como Senhor e Salvador – completou, segundo informações do The Christian Post.
O trabalho do “Jesus Film Project”, já levou o filme, que tem 2 horas de duração, a países em todo o mundo desde 1979. Para promover esse trabalho, a produção já foi dublada em centenas de idiomas desde que foi gravada.
- Nosso objetivo é chegar a todas as nações, tribos, povos e língua, ajudando-os a ver e ouvir a história de Jesus em uma linguagem que eles possam entender. Então, se uma pessoa fala swahili, Francês, ou até mesmo uma linguagem cujo nome é difícil de pronunciar para a maioria, ele ou ela vai encontrar a vida e a mensagem de Jesus na linguagem “do seu coração.” – explica o site do projeto.
A estimativa do projeto é que mais de 200 milhões de pessoas já se converteram ao evangelho após assistirem ao filme. Os responsáveis pelo projeto acreditam também que a cada oito segundos, em todo o mundo, uma pessoa toma a decisão de seguir a Jesus após ver o filme.
Por Dan Martins, para o Gospel+

terça-feira, 11 de março de 2014

Por que Evangelizar (parte 07)




O fruto nos identifica





Ø  Lucas 6:43-45   -   aceitar a Cristo como nosso salvador, é nosso primeiro passo rumo a vida eterna. Todavia, nem todos estão aptos a morar no céu. Mais como posso saber se vou morar no céu? Existe uma forma para identificar um verdadeiro cidadão do céu, dentre outras coisas, posso identificar através dos frutos. O fruto mostra quem ele realmente é.

*       O fruto é a principal identificação da planta. Pelas folhas você pode não conhecer, mas quando ver o fruto, você imediatamente identifica a planta;


*      Deus, dentre outros meios, nos identifica pelo fruto que produzimos. Se não temos frutos, não temos identificação; precisamos mostrar o fruto que possuímos, pois ele é minha identidade.

Líder da Coréia do Norte ordena execução de 33 pessoas por se converterem ao cristianismo

Líder da Coréia do Norte ordena execução de 33 pessoas por se converterem ao cristianismo
Segundo relatos, o líder supremo da Coreia do Norte, Kim Jong Um, ordenou a execução de 33 pessoas por terem se convertido ao cristianismo, e por receber ajuda de um missionário batista da Coreia do Sul para abrir 500 igrejas subterrâneas.
Segundo o The Chosunilbo, os 33 convertidos serão executadas em uma célula secreta do Departamento de Segurança do Estado, sob as acusações de tentar derrubar o regime da Coréia do Norte, estabelecendo igrejas subterrâneas. O missionário Kim Jung Wook também foi preso, por tentar plantar igrejas no país no ano passado.
Especialistas afirmam que o objetivo de Kim Jong Um com as execuções é mostrar um o castigo como exemplo para os convertidos no país, como uma forma de intensificar os esforços para fortalecer a doutrina da autossuficiência do país e manter seus cidadãos longe das crenças e práticas capitalistas.
Alguns dos presos relataram terem sido informados de que “o regime entraria em colapso” caso fosse aberta uma igreja em Pyongyang, perto de onde está a estátua de Kim Il Sung, considerado o “fundador da nação”. Porém, outros afirmam que a prisão é uma estratégia do governo para descobrir a localização de igrejas subterrâneas no país.
Ao comentarem a perseguição sofrida pelos cristãos no país, muitos afirmam que isso acontece porque os norte-coreanos estão desiludidos com o regime e estariam buscando no cristianismo uma alternativa à ideologia imposta no país.
Por Dan Martins, para o Gospel+

segunda-feira, 10 de março de 2014

Por que Criar Grupos de Crescimento (parte 09)

 PORQUE AS PESSOAS PRECISAM SER OUVIDAS

Ø  DURANTE OS CULTOS NA IGREJA, DIFICILMENTE PODEMOS DEBATER ASSUNTOS, JÁ NO GC TODOS TEM LIBERDADE PARA PARTICIPAR

·         QUANDO UM VISITANTE VEM A IGREJA, PROVAVELMENTE, ESTÁ BUSCANDO ALGUÉM PARA CONVERSAR, OU SER ACONSELHANDO, BUSCANDO UMA AJUDA; NA IGREJA ISSO É MAIS DIFÍCIL, DEVIDO O NÚMERO DE PESSOAS, LÍDERES E ATIVIDADES QUE O PASTOR TEM PARA DESEMPENHAR;
·         NO GC A DISTÂNCIA ENTRE O LÍDER E O MEMBRO DIMINUI DRASTICAMENTE, GERANDO POSSIBILIDADE DE CONVERSA;

·         ENQUANTO O PASTOR TEM VÁRIOS DEPARTAMENTOS PARA ORGANIZAR, LÍDERES PARA DIRECIONAR, DEZENAS DE MEMBROS PARA CUIDAR, O LÍDER DO GC TE NO MÁXIMO 10 PESSOAS PARA ACOMPANHAR;